fbpx

 Brasil vai começar a reduzir IOF cambial ainda este ano

 Brasil vai começar, ainda este ano, a reduzir o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), em negociações com moeda estrangeira.

A diminuição será feita aos poucos, ao longo dos próximos sete anos. A meta do Ministério da Economia é que, em 2029, o IOF sobre essas transações chegue a zero.

O advogado tributarista Caio Bartine destaca os quatro tipos de operações afetadas.

Retirar o IOF sobre as operações de câmbio é uma exigência da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), grupo que reúne as economias mais industrializadas do mundo. Nesta semana, a OCDE formalizou o convite para o início do processo de adesão do Brasil.

De acordo com Bartine, o objetivo dessa mudança é simplificar as operações de câmbio e dar mais liberdade a quem estiver negociando.

O tributarista Caio Bartine estima que o governo vai deixar de arrecadar até R$ 7 bilhões com a retirada do IOF das operações cambiais.

O Ministério da Economia informou que a primeira etapa da redução será nas operações de entrada e saída de recursos estrangeiros de curto prazo. Nesses casos, o IOF deve chegar a zero nos próximos seis meses. Ainda segundo o ministério, o Brasil está em estágio avançado de convergência com a OCDE. O país já aderiu a 104 dos 251 instrumentos normativos da organização.

Mais informações no programa “Impacto Notícias”, a partir das 11Hrs. Acompanhe pelo link https://sputnikvozdopovo.com.br/sertafm e também pela SertaFM 101,5.

Gostou do nosso portal de notícias?

Então siga o canal do YouTubereceba notícias diariamente através do WhatsApp (CLIQUE AQUI). Para ler mais notícias do Noroeste Mineiro, clique em NOTÍCIAS Siga o jornalista Jeferson Sputnik no TwitterInstagram e Facebook.  Envie informações à redação do portal por e-mail: [email protected].

O conteúdo do Sputnik Voz do Povo é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: