fbpx

SEJUSP responde a questionamentos de familiares de detentos de JP e Unaí, apresentados pelo Sputnik Voz do Povo

Gás para Cozinha em João Pinheiro e região é no Marcelo Gás! Peça agora…(38) 3561- 4213.

Manifestações, tem acontecido com frequência em Minas Gerais por familiares de detentos, devido às medidas de segurança que tem sido adotadas em relação à prevenção de contaminação por Covid-19.

Tais medidas tem revoltado, familiares que se organizaram em duas datas, onde manifestaram o descontentamento em manifestações, sendo uma delas em frente ao presídio de João Pinheiro I e outra em frente ao Fórum de João Pinheiro, na da data do dia Nacional Contra a Opressão Carcerária.

Os manifestantes apresentaram questionamentos buscando uma resposta da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

O Sputnik Voz do Povo, foi procurado por familiares de detentos do presídio de João Pinheiro e também por familiares de detentos da penitenciária de Unaí, onde estava sendo planejado uma nova manifestação em busca de oportunidade para apresentar suas reivindicações a SEJUSP.

Diante dessa possibilidade nossa redação procurou a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, onde apresentamos as reivindicações, buscando respostas aos familiares dos detentos, afim de evitar uma nova manifestação, tendo em vista o momento de pandemia que todo o mundo tem enfrentado.

Reivindicações

Em contato com a SEJUSP, foi solicitado um parecer sobre a situação de momento em relação às condições que os detentos do presídio (João Pinheiro I) em João Pinheiro, e da penitenciária de Unaí I (Agostinho de Oliveira Júnior), estão vivendo.

Na ocasião Informamos que familiares de detentos procuraram nossa redação, apresentando algumas queixas sobre algumas situações, entre elas; diminuição do tempo de visitas virtuais de 30 para 15 minutos, quantidade de alimentos de sacolinhas, que alegam ser muito pouco devido à entrega acontecer de 30 em 30 dias.

Perguntas e Respostas

P: os familiares questionam que notícias não estão sendo repassadas a eles, sobre a situação dos detentos contaminados por Covid-19, que devido a isso os mesmos não podem enviar e nem receber correspondências.

R: “A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), por meio do Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), informou que, no levantamento das 10h deste domingo (30/8), há dois casos confirmados para covid-19 entre detentos do Presídio de João Pinheiro I e 12 casos na Penitenciária de Unaí (Penitenciária Agostinho de Oliveira Júnior).

Os presos contaminados nestas duas unidades prisionais estão assintomáticos ou com sintomas leves. Eles foram separados dos demais e estão sendo monitorados pela equipe de saúde.

Diante de qualquer confirmação que algum preso esteja contaminado com a covid-19, o setor de atendimento ao preso das unidades prisionais entra em contato com o familiar, informando a situação do detento, desde que possua o contato telefônico de algum parente”.

P: os familiares denunciaram que alimentação está chegando fora de condições para o consumo humano e que clamam por resposta da administração.

R: “A alimentação fornecida aos presos é preparada e entregue por empresas contratadas pela Sejusp e consiste em quatro refeições diárias. Casos pontuais de alimentação recebida fora dos padrões estipulados em contrato entre o Estado e a empresa prestadora do serviço são prontamente sanados, sem prejuízo à alimentação do custodiado. A refeição é obrigatoriamente substituída de forma imediata e a empresa notificada”.

P: pedidos foram feitos, sobre a possibilidade de manter a vídeo conferencia em 30 minutos e diminuir o período de recebimento de sacolinhas de 30 para 15 dias. Questionam a quantidade permitida e qual a possibilidade de aumentar o limite de produtos.

R: “Em relação às visitas virtuais, a direção-geral das duas unidades prisionais mencionadas tem feito todos os esforços no sentido de atender o maior número possível de detentos. A suspensão temporária das visitas presenciais é uma medida necessária para conter a disseminação da covid-19 no ambiente prisional.

Os familiares mantêm contato com os detentos por meio de cartas, chamadas telefônicas e visitas virtuais por videoconferências. Vale destacar que as cartas e encomendas enviadas pelos parentes, passam por rigorosos procedimentos de segurança, a fim de evitar a entrada de materiais ilícitos, como drogas e celulares.

Mais de 90% das unidades prisionais do Estado já estão realizando as visitas virtuais. Para viabilizar a iniciativa, a Sejusp investiu cerca de R$ 2,5 milhões, destinados à aquisição de equipamentos como computadores, webcams e modems, que foram enviados para todas as unidades de Minas Gerais. O retorno das visitas presenciais dos familiares está em análise pelo Depen-MG”. Informou (Sejusp), respondendo aos questionamentos que foram apresentados.

Nós, do Sputnik Voz do Povo, trabalhamos tão-somente como veículo de imprensa em busca de informações que são de interesse público, não estamos aqui representando nenhuma família em especial.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: