fbpx

Saiba quais as documentações exigidas para quem vai viajar com animais de estimação 

Documentos para pets viajarem juntos com os donos

Se você tem um bichinho de estimação, provavelmente já considerou deixar de fazer algum programa ou viagem justamente para não deixá-lo sozinho. Contudo, os tempos mudaram e, agora, está cada vez mais comum incluir os pets na programação de férias. 

Isso porque, a maioria das companhias aéreas possuem opções para o transporte de animais e, hotéis, restaurantes e até mesmo alguns pontos turísticos mudaram suas políticas no que diz respeito ao recebimento dos pets. 

Conhecidos como pet friendly – que traduzindo para o português significa “amigo dos pets” – os estabelecimentos que adotaram essas medidas não só viabilizaram a possibilidade de quem quer levar o animal na viagem, mas também tornaram o passeio mais prazeroso. 

Mas afinal, o que é necessário para levar seu animalzinho de estimação na sua viagem e quais documentos são exigidos? É justamente sobre isso que falaremos no conteúdo a seguir!

Documentos para viajar com pets no Brasil

Se a sua viagem for feita dentro do território nacional, existem regras específicas para o transporte de animais em cada tipo de meio de locomoção. 

Para viagens feitas de carro, por exemplo, a lei brasileira exige que o animal seja levado em uma caixa de transporte adequada para o tamanho e porte do pet, que esteja devidamente presa pelo cinto de segurança.

Já para viagens aéreas, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estipula que além da reserva para animais de estimação, que deve ser feita de 24h a 48h de antecedência, os tutores do pet apresentem os seguintes documentos: 

  • Carteira de vacinação do animal com a vacina antirrábica e outras vacinas obrigatórias em dia, com validade mínima de um ano;
  • Atestado médico veterinário com no mínimo dez dias de antecedência, indicando que o pet está em perfeitas condições de saúde para viajar. 

Além dessas regras, a própria companhia pode indicar outras normas para tornar a viagem do animal ainda mais segura, como por exemplo, um atestado sanitário e o Certificado Veterinário Internacional (CIV).

Dicas para viajar com os pets em voos nacionais

Algumas companhias estipulam que os animais devem viajar no porão do avião, enquanto outras, permitem que os pets sejam transportados na cabine junto ao seu tutor, desde que carregados em uma caixa adequada de transporte. 

Portanto, dependendo da necessidade, tamanho e apego com o pet, é válido pesquisar a companhia que oferece a melhor opção para o conforto e segurança do seu animalzinho de estimação. 

Vale lembrar que é indispensável garantir que o pet esteja confortável na caixa, com espaço suficiente para se movimentar e ter uma viagem agradável durante todo o trajeto. 

Lembre-se também de se certificar que tem comida e água suficientes para manter seu pet hidratado e saudável até que chegue ao destino final. 

Petiscos e brinquedos que o mantenha entretido na caixa podem ser ótimas opções para evitar que o pet fique muito estressado, uma vez que está fora da sua zona de conforto.

Documentos para viajar com os pets para o exterior

Já se você pretende viajar com seu pet para o exterior, o processo para o transporte aéreo do animal pode ser um pouco mais complicado e, um tanto quanto burocrático. 

Isso porque, embora exista apenas um documento obrigatório para embarque de animais de estimação – apenas gatos e cachorros entram nessa categoria – cerca de 40% das solicitações do Certificado Veterinário Internacional são recusadas. 

O CVI, emitido a cada nova viagem, serve para autorizar o trânsito de animais entre países e é exigido por quase todos os territórios estrangeiros. 

Para consegui-lo, é necessário apresentar a carteira de vacinação do animal com todas as vacinas obrigatórias em dia, além de um atestado de saúde do pet, assinado por um médico veterinário devidamente regulamentado. 

Alguns destinos ainda, exigem que o animal seja microchipado, a fim de garantir a segurança do pet e evitar maiores inconvenientes. 

Há também o Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos, que é igualmente aceito em determinados países para entrada dos pets. Esse documento pode ser emitido mediante apresentação dos documentos pessoais do tutor e documentos do pet. 

Além das documentações já mencionadas, é importante certificar-se de que a companhia aérea escolhida não possui nenhuma exigência específica, a fim de evitar atrasos e até mesmo uma recusa na viagem do seu animal. 

Tradução juramentada para os documentos do pet

Como você já deve saber, alguns destinos solicitam a tradução juramentada dos documentos emitidos fora de seu território para que sejam legalmente aceitos e, com os pets, isso não seria diferente. 

Portanto, a principal dica é pesquisar a fundo sobre o país para o qual pretende levar seu animalzinho, sobretudo se vai passar um tempo maior do que seis meses, considerando que neste período poderá precisar usar os documentos. 

Para isso, é indispensável encontrar uma empresa especializada no assunto, considerando que os papéis podem conter informações específicas e demandarem conhecimento mais amplo do assunto. 

O processo deve ser feito, assim como com seus documentos, no idioma praticado no país de destino para facilitar a compreensão das autoridades competentes e evitar futuros inconvenientes.

Mais informações no programa “Impacto Notícias”, a partir das 11Hrs. Acompanhe pelo link https://sputnikvozdopovo.com.br/sertafm e também pela SertaFM 101,5.

Gostou do nosso portal de notícias?

Então siga o canal do YouTubereceba notícias diariamente através do WhatsApp (CLIQUE AQUI). – https://linktr.ee/JefersonSputnik – Para ler mais notícias do Noroeste Mineiro, clique em NOTÍCIAS Siga o jornalista Jeferson Sputnik no TwitterInstagram e Facebook.  Envie informações à redação do portal por e-mail: [email protected].

O conteúdo do Sputnik Voz do Povo é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: