fbpx

Bevap revoluciona plantio e tratos culturais com IA, IoT, machine learning

Usina de etanol conquista alta eficiência, alinha-se à era digital e leva o prêmio de “As 100+ Inovadoras no Uso da TI 2019”

A Bevap, localizada no município de João Pinheiro, na região do Vale do Rio do Paracatu (MG), faz parte de um setor importante para o desenvolvimento do País, o agronegócio. Este que representa cerca de 30% do PIB nacional e responsável pelo saldo positivo da balança comercial.

Esses resultados positivos estão apoiados especialmente no avanço do uso de tecnologias disruptivas, que colocam o campo na trilha do digital. Mas os desafios no dia a dia do setor são muitos, especialmente os referentes a custos operacionais.

De acordo com Fábio Ramos, gerente-executivo de TI da Bevap, por esse motivo, é preciso estar sempre em busca de eficiência, eliminando desperdícios, com processos automatizados, mais ágeis e inteligentes.

“Nossa grande vantagem é que a Bevap tem a inovação em seu DNA. E o que nos ajuda muito a avançar é nosso Comitê de Inovação, com integrantes de diferentes áreas, trabalhando para inovar e promover crescimento sustentável”, conta o executivo.

O projeto “Inteligência Artificial, machine learning e IoT no plantio e tratos culturais”, que arrebatou o primeiro lugar na categoria Agronegócio e Serviços Relacionados do prêmio As 100+ Inovadoras no Uso de TI 2019, nasceu da necessidade de otimizar o alto volume financeiro dessas operações agrícolas.

“Precisávamos de um controle mais efetivo dos processos para aplicar com eficiência, agilidade e sem excessos defensivos agrícolas e fertilizantes. Afinal, são 32 mil hectares de plantação de cana-de-açúcar. Somente uma gestão automatizada poderia nos proporcionar isso, por meio de soluções inovadoras”, lembra.

A revolução tecnológica

Ramos destaca que o projeto trouxe para a Bevap um passo ainda mais adiante no segmento. “Partimos para uma solução diferente do que o setor do agronegócio vem adotando. Automatizamos os equipamentos (tratores, caminhões, pulverizadores e implementos, no total de 50 equipamentos pesados.”

Não pouparam evoluções como computadores de bordo com IoT, que permite a comunicação entre os equipamentos e implementos em campo sem necessidade de interação humana.

Robótica/mecatrônica foi usada no desenvolvimento e na adaptação de dispositivos de fluxo e aplicação de insumos (sólidos e líquidos) e realizada automação de bicos de aplicação e sensores de solo, bem como plantadoras de cana-de-açúcar, utilizando braços mecânicos, linhas de distribuição de gemas automatizadas com sensoriamento remoto (IoT).

Segundo Ramos, IA e machine learning, presentes em todo o projeto, geraram forte disruptura do tradicional para o novo. “Fomos além da agricultura 4.0, pois a IA define com as informações coletadas os melhores cenários e as melhores formas de atuar, as melhores decisões e monitora e acompanha todos os processos em operação como aplicações, operações, plantio, produção, área e georreferenciamento.”

Iniciado em outubro de 2018 e concluído em julho deste ano, o projeto contemplou ainda uma assistente virtual, a Alice, que atende ao comando de voz e responde em tempo real às solicitações dos usuários em campo, por meio dos seus smartphones.

E a Bevap não vai parar por aí. Ramos adianta que, em breve, o processo de irrigação da plantação de cana-de-açúcar contará com sensores para gerenciar 142 pivôs (que pulverizam água) e monitorar seu pleno funcionamento. Assim, será eliminada a necessidade de ter 200 pessoas se revezando atualmente, de moto, 24 horas por dia, sete dias por semana, para garantir que todos estejam regando e preservando o ouro da Bevap, a cana-de-açúcar.

Finalistas do prêmio As 100+ Inovadoras no Uso de TI na categoria Agronegócio e Serviços Relacionados

1º Bevap – Fábio Ramos, gerente-executivo de TI da Bevap 2º Adama – Luciano Lance, gerente de TI 3º Raízen – José Massad, diretor de TI

Logo
FONTE:


Comentários

%d blogueiros gostam disto: