fbpx

Drone usado contra apoiadores de Lula e Kalil em Uberlândia é apreendido pela PM

Três homens foram detidos, mas liberados após assinarem Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Polícia não informou identidade deles.

A Polícia Militar de Uberlândia detalhou a ação que culminou na detenção de três pessoas na tarde desta quarta-feira (15) após um drone, supostamente operado por eles, despejar um material líquido sobre os apoiadores que se reuniam no evento dos pré-candidatos à presidência da República e ao governo de Minas Gerais, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Alexandre Kalil (PSD).

Segundo o trio, a substância utilizada, com cheiro desagradável, trata-se de um produto utilizado para atrair moscas. A polícia informou que eles não tinham autorização para operar o equipamento, que foi apreendido.

Ainda segundo a corporação, os homens, de idades e identidades não informadas, foram liberados mediante assinatura do Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e serão acionados posteriormente no Juizado Especial Criminal (Jecrim).

Público disse que foram atingido por urina e fezes

Segundo os relatos dos militantes que estavam reunidos no estacionamento do Centro Universitário do Triângulo (Unitri), o drone teria jogado fezes e urina em cima das pessoas.

“Quando o drone chegou a gente achou que era do evento, de repente começou a pulverizar alguma coisa muito fedida, tipo fezes, chorume”, falou Mariana de Araújo, da organização.

Conforme o fretista Valdir Souza, o trio estava em uma caminhonete do lado externo da instituição. Ele e um grupo de pessoas teriam seguido em direção do equipamento e descoberto os homens.

“Eu estava na arquibancada e o drone apareceu. Pensei que era de filmagem, mas aí começou a cheirar ruim. Era um drone desses de bater veneno em plantação, e o pessoal começou a jogar coisas para ver se ele parava”.

O ex-presidente e pré-candidato à presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, lamentou o ocorrido, durante discurso no evento.

“Não pode ser um ser humano normal, um canalha que coloca um drone para jogar sujeira no povo aqui. Nós não vamos deixar barato. Esse cidadão não merece ser mineiro, porque se tem uma qualidade no povo mineiro é a tranqulidade”.

Produto pode ou não ser tóxico

De acordo com a doutora em química e professora da Universidade Federal de Uberlândia, Amanda Danuello Pivatto, alguns dos produtos usados em lavouras podem conter substâncias tóxicas capazes de provocar riscos à saúde em caso de contato direto.

“Algumas classes de substâncias atuam no sistema nervoso, outras, no respiratório, entre outros efeitos. Depende do que foi jogado, mas como as pessoas disseram que o líquido tinha cheiro de urina e fezes, suponho que tenha sido usado um produto com base em matéria orgânica, que não traria grandes riscos. Mas é uma suposição, pois é preciso saber os componentes”, explicou Pivatto.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: