fbpx

Bebê sobrevive a queda de incubadora em UTI neonatal no Pará

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Menina ficou com edema na cabeça após a queda; pais pedem indenização do hospital
  • Técnica em enfermagem e médica fingiram que nada havia acontecido

Câmeras de segurança do UTI neonatal da Maternidade Saúde da Criança, no Pará, capturaram uma cena tensa: um bebê rola para fora de uma incubadora e cai no chão. O acidente aconteceu no dia 7 de maio deste ano, e os pais buscam indenização até hoje.

Tudo aconteceu enquanto Jéssica, a mãe da menina, saiu da sala para almoçar. O bebê de três meses nasceu prematuro e com problemas de refluxo – por isso, estava internado há dois meses na UTI.

As imagens mostram uma técnica em enfermagem segurando a criança no colo e, em seguida, a colocando de volta na incubadora. É aí que acontece o erro que poderia ter sido fatal: ela tranca apenas um dos lados do equipamento.

A menina passa cerca de meia hora se mexendo dentro da incubadora sem que ninguém note algo fora do comum. Quando a trava cede e o equipamento se abre, uma médica percebe o que está acontecendo e corre para socorrer a criança. Não consegue chegar a tempo: o bebê já está no chão.

“Nós confiamos a nossa bebê a uma UTI. Uma UTI Neonatal, o que a gente imagina? É ali que existe a maior proteção que o ser humano que acabou de nascer pode ter”, afirmou ao programa Fantástico o pai da menina, Roberto.

A médica entrega a criança a uma técnica de enfermagem, que passa a massagear a cabeça da criança e segurá-la em diversas posições. Dez minutos depois da queda, a mãe retorna à UTI.

“Eu entrei na UTI e todo mundo tava totalmente diferente. As técnicas totalmente assustadas e uma delas com a criança no colo, mas em uma posição que não dava para eu ver a cabeça. Quando ela virou a criança eu vi o edema na cabeça dela. E eu perguntei ‘pelo amor de Deus, o que aconteceu? Minha filha caiu no chão?’ e a técnica disse que não tinha acontecido nada, que ela simplesmente encostou a cabecinha dela na parede da isolete e tinha formado aquele edema”, lembra a mãe.

Jéssica conta que perguntou o que havia acontecido à médica que socorreu a criança – ela mentiu e disse não ter visto nada. Eventualmente, um dos funcionários do hospital contou a verdade à mãe. À polícia, a técnica de enfermagem afirma que é função da médica dar esse tipo de notícia aos pais. A médica, por sua vez, nega ter mentido.

A bebê teve um edema com o impacto da queda, e precisou ser transferida para outro hospital para fazer uma tomografia. Mais tarde, o laudo do IML atestou que a criança sofreu uma fratura no crânio, e um hematoma no couro cabeludo. Hoje com oito meses, a pequena Roberta passa bem.

Os pais entraram com uma representação criminal e processo cível para conseguirem indenização do hospital. A polícia investiga agora se acidentes semelhantes já aconteceram antes, e se o procedimento de socorro foi adequado.

Confira o vídeo da queda:

Comentários

%d blogueiros gostam disto: