Anúncio FAKE de vendas no Facebook faz mais uma vítima de estelionato em Paracatu

FALSO ANÚNCIO DE VENDAS PELA INTERNET DEIXA MAIS UMA VÍTIMA NO PREJUÍZO EM PARACATU E A POLÍCIA MILITAR FAZ ALERTA SOBRE GOLPES/ESTELIONATOS NAS COMPRAS PELA INTERNET E ANÚNCIOS EM GERAL

Por volta das 10h40min, 07Out21, uma moça de 23 anos de idade, informou aos militares que no dia 06Out21 negociou uma compra de alguns eletrodomésticos, no valor de R$ 800 (Oitocentos Reais), através da rede social “Face book”, em nome de uma mulher. E que após o pagamento via transferência DOC, já não conseguiu mais contato com a pessoa que negociava as vendas, constatando que estava bloqueada no “WhatsApp” e que página do “facebook” estava fora do ar. Ou seja, que havia caído num golpe.

*Antes de qualquer movimentação de compra, pare para olhar bem para o site e/ou o anúncio publicado. Tenta fazer contato telefônico com a pessoa e sempre desconfie das conversas estranhas e aguarde para ter certeza sobre o pagamento.

Faça uma pesquisa para descobrir o que os outros clientes dizem. Alguém já teve problema na entrega? Os objetos vendidos eram como diziam no site? Como foi a experiência deles?

Fique atento ao link da página inicial e veja se no início dele existe um cadeado que funciona como símbolo de segurança.

Grandes promoções parecem ser uma boa para economizar dinheiro, mas podem ser uma grande roubada. Na dúvida, pesquise muito mais em relação a essa loja e verifique as dicas de segurança que demos anteriormente.

A veiculação de anúncios falsos em redes sociais, sobretudo o Facebook, é um dos “crimes da moda”, gerando grande demanda de trabalho para as delegacias, judiciário e setores jurídicos de empresas indiretamente envolvidas nestes casos.

A vítima, ao utilizar o Facebook, clica em um dos vários layouts que oferecem produtos para venda (geralmente se apropriando do nome e logotipo de conhecidos sites de venda de famosas marcas) e, redirecionadas a um site externo àquele domínio, acaba por efetuar uma compra online, pagando-a geralmente através de boleto bancário. Após a demora na entrega do produto comprado ou ao reparar tardiamente alguma divergência no documento, acaba por entrar em contato com a suposta empresa vendedora e descobre o golpe após a negativa desta.

Nos tribunais, o consumidor/vítima tende a suportar os prejuízos de sua desatenção. Em alguns casos, as empresas, também vítimas dos fraudadores, têm sido condenadas a arcar com o ressarcimento do valor. Entretanto, o Facebook, amparado pelo Marco Civil da Internet, tem sido excluído das condenações.

Ocorre que este provedor de conteúdo possui grande culpa nestes casos (para não dizer total, na maioria das ocorrências), sendo possível visualizar tal situação ao se aprofundar no funcionamento de como surgem as propagandas fraudulentas ali exibidas.

Para melhor visualização da contestação da ausência de responsabilidade do Facebook neste procedimento, deve-se buscar entender a veiculação de ofertas nesta rede social através do Facebook Ads.

Gostou do nosso portal de notícias?

Então siga o canal do YouTubereceba notícias diariamente através do WhatsApp (CLIQUE AQUI). Para ler mais notícias do Noroeste Mineiro, clique em NOTÍCIAS Siga o jornalista Jeferson Sputnik no TwitterInstagram e Facebook.  Envie informações à redação do portal por e-mail: [email protected].

O conteúdo do Sputnik Voz do Povo é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: