João Pinheiro registra alta de 1.692 no mês (06) para 1.719 Casos de dengue no mês (08)

Os dados são do Boletim Epidemiológico, divulgado nesta terça-feira (27) pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

O boletim, antes divulgado semanalmente, agora será publicado quinzenalmente, pois segundo a SES-MG, a tendência é que o número de casos diminua neste período de estiagem, devido à sazonalidade das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Nenhuma cidade do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas registrou aumento no número de mortes decorrentes da doença, em relação ao último boletim divulgado.

Conforme os dados, Uberlandia Com 33.075 casos prováveis de dengue aparece com o maior indice e Patos de Minas continua como a segunda cidade da região com maior número de casos prováveis de dengue, com 7.087 registros. Em terceiro lugar na lista aparece Paracatu, no Noroeste de Minas, com 3.256 casos prováveis da doença. Em seguida, está Araguari, com 2.849 caos, e Ituiutaba, com 2.304 registros.

Cidades do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de MG com os maiores registros de casos prováveis de dengue

Municípios têm incidência muito alta da doença

Fonte: SES/MG
 

Incidência muito alta de dengue

Na lista abaixo, estão elencados os municípios do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas com incidência muito alta de dengue. A taxa é calculada pela SES-MG com base na faixa populacional de cada cidade.

  • Abadia dos Dourados: 71
  • Água Comprida: 65
  • Araguari: 2.849
  • Araporã: 105
  • Arapuá: 42
  • Araxá: 1.155
  • Cachoeira Dourada: 37
  • Campina Verde: 268
  • Campo Florido: 181
  • Canápolis: 295
  • Capinópolis: 400
  • Carneirinho: 121
  • Centralina: 234
  • Conceição das Alagoas: 467
  • Conquista: 187
  • Coromandel: 353
  • Cruzeiro da Fortaleza: 55
  • Delta: 351
  • Douradoquara: 26
  • Estrela do Sul: 77
  • Fronteira: 476
  • Frutal: 1.747
  • Grupiara: 104
  • Guarda-Mor: 444
  • Guimarânia: 82
  • Gurinhatã: 63
  • Indianópolis: 164
  • Ipiaçu: 138
  • Itapagipe: 213
  • Ituiutaba: 2.304
  • Iturama: 588
  • João Pinheiro: 1.719
  • Lagamar: 134
  • Lagoa Formosa: 369
  • Lagoa Grande: 504
  • Limeira do Oeste: 110
  • Monte Carmelo: 685
  • Nova Ponte: 194
  • Paracatu: 3.256
  • Patos de Minas: 7.087
  • Patrocínio: 2.181
  • Pedrinópolis: 69
  • Pirajuba: 290
  • Planura: 570
  • Prata: 1.424
  • Presidente Olegário: 783
  • Romaria: 122
  • Sacramento: 307
  • Santa Juliana: 173
  • São Francisco de Sales: 204
  • São Gonçalo do Abaeté: 97
  • São Gotardo: 601
  • Serra do Salitre: 98
  • Uberlândia: 33.075
  • União de Minas: 56
  • Varjão de Minas: 83
  • Vazante: 726
  • Veríssimo: 228

Mortes por dengue 
Nas regiões do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas, nenhuma cidade registrou aumento no número de mortes decorrentes da doença.

As cidades que têm mortes pela doença confirmadas em 2019 são: Araguari (1), Estrela do Sul (1), Frutal (2), Ibiá (1), Ituiutaba (1), João Pinheiro (5), Monte Carmelo (1), Paracatu (1), Patos de Minas (4), Patrocínio (2), Rio Paranaíba (1), Sacramento (1), São Gotardo (2), Uberaba (2), Uberlândia (18) e Vazante (2).

Chikungunya

Em Minas Gerais, foram registrados 2.660 casos prováveis de chikungunya. Desse total, 58 são gestantes, sendo dez com confirmação laboratorial. Em 2019, até o momento, foi confirmado um óbito por chikungunya do município de Patos de Minas.

Zika

Foram registrados 859 casos prováveis de Zika em 2019 em Minas, sendo 236 em gestantes. Casos prováveis de Zika em gestantes foram registrados em 72 municípios, entre eles, Uberaba (19 casos) e Araguari (6 casos).

 Fonte: SES/MG

Comentários

%d blogueiros gostam disto: