fbpx

Mortalidade materna pode ser 12% maior do que mostra os dados oficiais

O número de mulheres que morrem em decorrência da gravidez ou do parto é 12% maior do que o dado oficial divulgado pelo Ministério da Saúde. Essa é a conclusão do Observatório Obstétrico Brasileiro, que analisou as bases de dados sobre óbitos de gestantes e puérperas de todo o país.

Segundo a entidade, foram identificados, em 2021, 347 óbitos que deveriam constar como morte materna, mas que não foram notificados como tal. Isso representa 12% das mais de 2.800 mortes maternas oficiais registradas no ano passado.

A pesquisadora responsável pelo levantamento, Rossana Francisco, destacou que foram identificadas falhas na notificação.

Os 12% de subnotificação de mortes maternas em 2021 são dados preliminares, ou seja, ainda podem sofrer alterações. Já entre 2016 e 2020, período em que os dados estão consolidados, as mortes maternas não contabilizadas variaram de 8% a 12% do total, porcentagem semelhante ao do ano passado. Segundo Rossana Francisco, esses resultados indicam que é preciso alterar a forma de notificação dos casos.

São consideradas mortes maternas, os óbitos ligados a gravidez que ocorrem até 42 dias após o parto. Se considerado o período de 43 dias até um ano após o parto, a chamada mortalidade materna tardia, as porcentagens de casos não notificados ficam entre 29 e 39% acima dos números oficiais, também considerando os anos de 2016 a 2021.

Questionado sobre esses números, o Ministério da Saúde informou apenas que o número de óbitos classificados como maternos no Sistema de Informações de Mortalidade é feito a partir dos campos causa básica e momento do óbito.

Mais informações no programa “Impacto Notícias”, a partir das 11Hrs. Acompanhe pelo link https://sputnikvozdopovo.com.br/sertafm e também pela SertaFM 101,5.

Gostou do nosso portal de notícias?

Então siga o canal do YouTubereceba notícias diariamente através do WhatsApp (CLIQUE AQUI). Para ler mais notícias do Noroeste Mineiro, clique em NOTÍCIAS Siga o jornalista Jeferson Sputnik no TwitterInstagram e Facebook.  Envie informações à redação do portal por e-mail: [email protected].

O conteúdo do Sputnik Voz do Povo é protegido. Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.

#mortalidade #o #rica #saude #ncia #s #sa #educa #bifobia #transfobia #lesbofobia #de #representatividadeimporta #lgbtia #maternidade #vidahist #d #dio #ohist #repara #m #as #sp #social #feminic #homofobia #sbt #privil #pinkmoney #viol

Comentários

%d blogueiros gostam disto: