fbpx

Militares falam em “guerra civil”, apoiam Heleno e atacam STF


Carta assinada por dezenas de militares foi enviada ao ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI)

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, recebeu uma carta em que militares alertam para uma “guerra civil” no Brasil, devido à falta de “decência, dignidade, honra, patriotismo e senso de justiça” do Supremo Tribunal Federal (STF). A informação é do portal UOL.

As declarações ocorrem após Augusto Heleno falar abertamente sobre “consequências imprevisíveis” no país, caso o presidente Jair Bolsonaro tiver o seu celular apreendido pelo STF. Bolsonaro pode ter o seu telefone examinado em uma investigação sobre suposta interferência política na Polícia Federal.

O próprio presidente da República defendeu o armamento da população para ajudar protestos contra o isolamento social. A declaração ocorreu durante reunião ministerial de 22 de abril, como mostram vídeos divulgados pelo STF.

Na carta, dezenas de militares da reserva manifestam “a mais completa, total e irrestrita solidariedade” a Augusto Heleno, em relação à nota emitida em 22 de maio. O texto acusa os ministros do STF de “sucessivas arbitrariedades, que beiram a ilegalidade e a desonestidade” e chama os magistrados de “bando de apadrinhados”.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: