Prefeito de Riachinho promete resolver problemas do cemitério de Buritizeiro após, matéria do Sputnik

Após, a matéria do Sputnik Voz do Povo ir ao ar, o prefeito de Riachinho Liedson (PMDB) se manifestou positivamente onde ele relatou que tem uma pessoa que é responsável pela limpeza do Cemitério, e que devido às chuvas na região os trabalhos ficaram comprometidos, o que seria o motivo do cemitério está sujo. Ele relatou também que foi realizado concurso público e que estão chamando os primeiros colocados para assumir as funções. De acordo com ele os trabalhos pararam durante esta última semana que se encerrou, devido à pandemia do Covid-19, mas que em breve todos os concursados assumiram seus postos. Relatou também que existe um projeto de construção de uma capela para velórios no cemitério e que a prefeitura herdou uma dívida milionária mas que trabalha para sanar os problemas. Continuou sua fala dizendo que o município tem para receber do Governo de Minas, 4 milhões e seiscentos mil reais, mas que isto não justifica a situação. A firmou que tem outras demandas no distrito do Buritizeiro, como água, estradas vicinais, saúde, etc., mas que em breve tudo estará resolvido.

Questionado pelo nosso repórter e jornalista Jeferson Sputnik, durante a matéria no cemitério, sobre se ele sepultaria algum parente dele ali no cemitério local, devido à situação de abandono, o Prefeito Liedson, respondeu via WhatsApp que tem parentes sepultados no cemitério e que frequenta o distrito de Buritizeiro todas as semanas.

Relembre o caso…

Assista a “Cemitério na Zona rural de Riachinho está abandonado” no YouTube

Chegamos a Buritizeiro, distrito de Riachinho aproximadamente 10 km do município, onde acompanhamos um velório e as dificuldades enfrentadas pelos moradores para sepultarem seus entes queridos.

Um cemitério antigo onde, de acordo com os moradores, todos os trabalhos de manutenção do local, são feitos pelos próprios moradores sem nenhum tipo de apoio, orientação e prevenção de contaminação física ou do solo do local por parte de órgãos fiscalizadores.

As famílias do povoado contam com a união de todos para superarem as dificuldades, que são claramente notadas no momento de maior sofrimento que uma família pode sofrer que é o momento da perda de um ente querido.

Conversamos com os moradores que nos relataram que o cemitério não conta com serviços simples e básicos que geralmente são encontrados em cemitérios que possui administração, entre eles serviços de coveiro, livro de registro, numeração de sepulturas.

As covas são cavadas pelos próprios moradores do povoado, em local que é apontado pelas próprias famílias. Questionamos aos moradores se existe algum custo financeiro junto a algum órgão competente, e os mesmos nos relatou que não existe nem um tipo de cobrança para sepultarem seus mortos ali no local.

Os moradores relataram que se acontecer qualquer tipo de violação dos túmulos a dificuldade para identificar os problemas ou controle de registro as dificuldades serão imensas devido ao local não contar com livro de registro e controle de sepultamento.

As dificuldades são muitas para as famílias que precisa dos serviços no local.

Durante o sepultamento de uma senhora de idade aproximada a 80 anos, moradora de uma vida inteira do povoado. Nossa equipe de reportagem flagrou momentos de muita dificuldade e desrespeito com a família, devido à falta de estrutura para o momento de sofrimento vivido ali no momento de despedida.

O sepultamento aconteceu por voltas das 19 (h), já no início da noite devido à família aguarda a chegada de parentes que outras regiões, que sofreram com a dor da perda e com a situação de sepultamento feita no escuro devido ao local não conter nem um tipo de iluminação, onde os familiares fizeram o sepultamento a luz de lanternas e com o apoio de um veículo funerário que com faróis ligados ajudou a iluminar o local.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: