fbpx

Na véspera do Dia da Consciência Negra, deputado do PSL quebra quadro sobre racismo

Na véspera da celebração do Dia da Consciência Negra, o deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) quebrou um quadro em exposição na Câmara com o desenho de um jovem negro assassinado e um policial com uma arma na mão. 

A mostra, com duração de um mês, foi aberta nesta terça-feira (19) justamente para marcar a data. Abaixo da charge, de autoria do cartunista Latuff, aparece o título “O genocídio da população negra”. A obra também apresentava dados sobre a violência do Estado contra negros. 

O parlamentar justificou a atitude afirmando que fez um “protesto em cima do protesto deles”, de acordo com matéria publicada no G1. Tadeu disse que a imagem era um “crime contra as instituições”. Tadeu quebrou e pisoteou a peça. 

A exposição foi montada no túnel que liga o plenário principal da Câmara ao anexo das comissões, espaço tradicionalmente usado para exposições.

Talíria Petrone@taliriapetrone

Absurdo!

Um deputado acabou de arrancar um quadro da exposição (Re)Existir no Brasil – Trajetórias negras brasileiras, aqui na Casa. O quadro trazia dados sobre a violência de Estado contra negros e pobres. Não adianta quebrar placas! Precisamos de outra política de segurança!

Ver imagem no Twitter
Ver imagem no Twitter

“Absurdo! Um deputado acabou de arrancar um quadro da exposição (Re)Existir no Brasil – Trajetórias negras brasileiras, aqui na Casa. O quadro trazia dados sobre a violência de Estado contra negros e pobres. Não adianta quebrar placas! Precisamos de outra política de segurança!”, criticou a deputada Talíria Petrone (PSOL-RJ) pelo Twitter. 

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) afirmou que irá acionar o Conselho de Ética da Câmara pela atitude do parlamentar. Segundo publicado pelo jornal O Globo, os deputados David Miranda (PSOL-RJ), Talíria Petrone, Áurea Carolina (PSOL-MG) e Benedita da Silva (PT-RJ) registraram um boletim de ocorrência contra Tadeu. 

Durante a confusão, o parlamentar foi acusado de “racistas” pelos colegas. Tadeu postou em seu Twitter um vídeo do momento em que ele arranca e quebra o quadro. 

“Isso aqui não vai ficar na parede, isso aqui é contra a polícia. A polícia está aqui para defender a sociedade. Eu vou queimar esse cartaz que não deveria estar aqui” disse Tadeu no vídeo. Ele ainda afirmou que o “racismo é a coisa mais abominável hoje”. 

Mais cedo, em carta enviada ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), outro parlamentar da ancada da bala, Capitão Augusto (PL-SP), criticara o quadro e pedira sua retirada. 

“Há a absurda atribuição da responsabilidade pelo genocídio da população negra aos policiais militares, prestando-se, assim, verdadeiro desserviço junto à população que trafega pelas dependências da Câmara”, argumentou. 

Segundo o Atlas da Violência 2019, 75,5% das vítimas de homicídios no país em 2017 foram indivíduos negros. 

Comentários

%d blogueiros gostam disto: