fbpx

Vereador de Paracatu Gilsomar do Projeto é preso em João Pinheiro após agredir esposa gravida e por desacato

Na data do dia (07) quinta feira, por volta das 22:17 a Policia Militar de João Pinheiro foi acionada a comparecer na Rua Antônio Honório a Silva, nº 70, no bairro Santa Cruz na cidade de João Pinheiro, onde a guarnição em conversa com as vítimas E.B.S de 33 anos e pai S.R. M de 56 anos, relataram a guarnição que naquela data e durante o dia, se encontravam em casa e o autor Gilsomar Ferreira dos Santos (esposo da vítima) que também é vereador na cidade de Paracatu/MG, filiado ao partido (PCdoB) partido comunista do brasil, chegou na residência bastante agressivo e nervoso e como o portão se encontrava trancado, ele pulou o muro e de posse de uma faca, agrediu fisicamente sua esposa e ameaçou de morte os dois, saindo em seguida tomando rumo provavelmente a alguma boca de fumo, pois segundo as vítimas, o autor faz uso em demasia de “crack”.

Temerosas, as vítimas deslocaram para a casa da testemunha E.B.de S (irmão da esposa do autor e também vítima do mesmo) situada à rua Antônio Honório da silva, n°: 70 bairro Santa Cruz e por volta das 22 horas, mais uma vez o autor chegou bastante agressivo, ainda com uma faca, ameaçando de morte pai e filha, saindo novamente antes da chegada dos militares.

Cerca de duas horas depois, O Vereador Gilsomar compareceu novamente no local ainda mais agressivo e desta vez forçando a abertura do portão com as mãos e em ato contínuo danificou e derrubou o portão, portando a mesma faca, ameaçando de morte os presentes, além das vítimas citadas, ameaçou uma terceira pessoa C.A.P e os filhos da mesma que são crianças.

O proprietário da casa, C.A.P, mesmo avisando por várias vezes para Gilsomar desistir da ação, e não tendo outra alternativa, e para também, defender sua integridade física e utilizar da legítima defesa própria e de sua família, após ser atacado por Gilsomar, apoderou-se de um pedaço de madeira e revidou um golpe de faca, acertando a cabeça de Gilsomar.

Ao chegarem novamente no local a polícia depara com o autor Gilsomar distante cerca de 50 metros do local do fato, o qual sangrava a cabeça e tinha como companhia sua esposa que chorava copiosamente.

Então foi dada voz de prisão em flagrante delito ao autor e em seguida levamos ele e sua esposa que se encontrava grávida até a unidade de pronto atendimento e no momento em que ele foi colocado na sala para ser atendido, começou a urinar no chão e ao ser repelido começou a gritar, causando tumulto e perturbando o trabalho de todos (policiais e equipe médica), xingando o sargento de policial lixo e de filho da puta, recusando ser atendido. Logo após, o autor saiu do interior da sala, se dirigiu até a porta de saída procurando por sua esposa, dizendo a todo momento que iria matá-la e no instante em que foi interpelado, tentou agredir fisicamente os militares Sgt. Gustavo e Cb. Flavio, com chutes e socos e resistiu à prisão, sendo necessário o uso de técnicas de imobilização para contê-lo.
No caminho de volta para o interior do prédio hospitalar, o autor mesmo algemado chutou o sargento, vindo a atingir o telefone celular do militar, causando a quebra da tela do aparelho tornando-o inoperante.

A equipe médica tentou por cerca de duas horas e meia realizar a sutura nos ferimentos do autor, porém ele negou por várias vezes o atendimento médico.

Ressalta-se que além da balburdia causada, o autor sujou algumas paredes do hospital com o próprio sangue.

Diante das diversas negativas por parte do autor em ser medicado, a polícia desloca-se para a delegacia de polícia civil de João Pinheiro/MG e durante a confecção da ocorrência, Gilsomar ameaçou de morte o sargento com os seguintes dizeres: “eu sou vereador, tenho influência na mídia, na política e meus eleitores são todos da “correria”, da bandidagem. É fácil te pegar e te matar!” e ainda bateu com a cabeça contra a parede da sala de confecção de reds, sujando-a de sangue e que segundo o autor, tal ação foi feita para incriminar os militares.

Importante frisar também que a todo momento o autor em tom de provocação e utilizando-se de ironia e agressividade chamava os policiais para a briga e dizia que mesmo sabendo que os ferimentos existentes foram provenientes da desavença que teve com seu concunhado iria imputar falsa denúncia de agressão contra os militares.
Diante aos fatos foi dada voz de prisão ao autor Gilsomar por ameaça, desacato, resistência, desobediência e danos.

Em diálogo com a vítima e companheira do autor, relatou que vem sofrendo diversas agressões físicas diárias por parte do autor; que ele é usuário de drogas (crack) e que teme pela sua vida e a do seu filho que está no seu ventre.

O autor C.A.P. não foi encontrado pelas guarnições. A faca utilizada para ameaçar as vítimas foi apreendida. Por volta das 05 horas da manhã, o autor pediu para ser encaminhado até o hospital, pois desta vez ele iria aceitar ser medicado, então o autor foi levado até a UPA, sendo atendido, medicado e liberado pelo médico.

FONTE: Censored

Comentários

%d blogueiros gostam disto: