Margem consignável de 40% no Jersinho Seguros: saiba TUDO sobre a nova margem 2020

Jersinho Seguros
R. Astolfo Moreira 123 38770000 João Pinheiro, MG
(38) 99927-2190

O Governo autorizou recentemente o aumento do limite para empréstimos consignados: a nova margem consignável de 40% já está valendo e altera provisoriamente a regra anterior.

A nova margem consignável de 40% permitirá que os interessados no crédito consignado – que é aquele com desconto direto na folha de pagamento, utilizem até 40% da renda líquida para quitação da dívida.

O limite anterior era de 35%, sendo que 5% só podem ser utilizados para o pagamento do cartão consignado.

Como o pagamento ocorre de forma automática, as taxas de juros da modalidade é uma das mais baratas quando se fala em linhas de crédito pessoal, ou seja, aquelas que podem ser contratadas por pessoas. Diferente de outras opções, a renda fixa é a única garantia solicitada.

Para efetivar a contratação é preciso ter também margem livre. Por isso, o aumento da margem consignável é tão importante – uma vez que amplia o acesso a essa linha que oferece taxas de juros menores.

Para quem vale a nova margem consignável de 40%?

Apesar de atender 3 (três) grupos, a nova regra da margem consignável de 40% vale somente os Aposentados e Pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social – o INSS.

Os Funcionários Públicos Federais (SIAPE), Estaduais e Municipais, assim como os Funcionários de empresas privadas não tiveram a margem atualizada.

Para esses outros dois grupos, continuará a valer a regra anterior, sendo:

  • Margem de 30%: para empréstimos;
  • Margem de 5%: para cartão consignado.

Portanto, só podem comprometer 35% do salário líquido recebido no mês. Isso é para evitar que assumam dívidas maiores.

Até quando vale a margem de 40%?

Apesar de muito aguardada e mesmo sendo liberada há pouco tempo, a margem consignável de 40% terá duração limitada.

Os beneficiários do INSS que quiserem contratar o empréstimo consignado com a nova margem terão até o dia 31 de dezembro de 2020. Assim, o acréscimo de 5% que é para empréstimos (e não para o cartão) só poderá ser usado até essa data.

A margem de 5% do cartão pode ser usada combinada com a do empréstimo, mas não pode ser substituída (são tratadas como complementares.

Aposentados e Pensionistas INSS podem ter, ao todo, até 9 (nove) contratos de empréstimos ativos, mais um cartão com desconto no benefício.

O que pode acontecer com a margem no próximo ano?

Qual será a margem consignável de 2021?

Vencido o prazo estabelecido pela Medida Provisória nº 1.006, de 1º de outubro 2020, a margem INSS voltará a ser de 35%. Pelo menos é isso que está previsto até agora. Mas a lei provisória pode ser tornar também permanente alterando assim as normas anteriores.

Enquanto se discute sobre o percentual máximo e/ou data de sua vigência, existe ainda outro fator que pode mudar a base de cálculo para esse tipo de empréstimo.

O aumento anual do salário mínimo que atualiza também o valor dos benefícios previdenciários que entra em vigor em 1º de janeiro de 2021, amplia o valor que é utilizado para o cálculo. A previsão inicial é a de que o salário mínimo de 2021 seja de R$ 1.067.

Segurados que ganham até um salário mínimo terão esse teto. Por outro lado, quem ganha acima pode ter um alíquota de reajuste superior (ainda não confirmada).

Essa referência altera a base de cálculo e, a depender da confirmação do percentual da margem consignável, a margem em reais pode ficar em:

Valor do salário mínimoMargem consignável de 35%Margem consignável de 40%
Salário mínimo 2020
R$ 1.045
R$ 365,75R$ 418,00
Salário mínimo 2021
R$ 1.067
R$ 373,45R$ 426,80

Os valores citados consideram o valor bruto, mas a margem consignável é calculada sobre o valor líquido (já sem os devidos descontos).

Onde e como contratar o Consignado com a nova margem INSS?

No Jersinho Seguros, você encontrará as melhores instituições financeiras do país.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: