fbpx

Jornal de Brasília noticia suicídio de jovem pinheirense na ponte JK, mas família acredita que a vítima foi estuprada e assassinada

Ponto de partida das (buscas) informado pelo Jornal de Brasília foi uma bolsa que a garota teria deixado na ponte.

O caso foi noticiado nesta quinta-feira (26) pela manhã por volta das 09h30ms, dando conta que uma jovem de 18 anos, natural de Brasília, moradora da cidade de João Pinheiro, supostamente havia atentado contra a própria vida na Ponte JK no Lago Sul.

O jornal de Brasília, noticiou que pessoas que passavam pelo local viram a cena e acionaram o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal e a Polícia Militar.

Os policiais militares do Batalhão Turístico utilizaram de jet skis e de duas viaturas para localizar o corpo da jovem.

Nossa equipe de reportagem entrou em contato com a família da vítima, identificada como Erica Ester de Oliveira Porto, de 18 anos, onde nos relataram, não acreditar na possibilidade de ela ter agido contra a própria vida.

A irmã da vítima relatou que Erica, sofria de sonambulismo e que saiu da casa de sua outra irmã onde estava hospedada em Brasília, durante a madrugada. Sua falta foi notada quando a irmã da vítima se levantou para cuidar do esposo que esta enfermo por volta das 03 (h), não encontrando a jovem Erica na residência, ela então ligou no telefone celular da vítima, que de acordo com a família a ligação foi atendida por um homem, que falou que estava com a Erica e com a mãe dele, ele fala para a irmã de Erica que eles estariam indo para a cidade de Formosa. Diante da situação a irmã da vítima saiu destino ao lugar informado, mas quando chegou no local o endereço do GPS estava errado, a irmã aflita ligou novamente no telefone da vítima e novamente o homem atendeu a ligação, mas desta vez ele aterrorizou a família dizendo que havia estuprado e matado Erica.

A jovem foi encontrada ainda pela manhã já sem vida. Foi encontrado uma carta com conteúdo de uma suposta despedida, mas as suspeitas são que a carta não tenha sido escrita pela vítima.

Em conversa com a prima da vítima, ela nos relatou que o celular da jovem foi rastreado dando conta de sua localização em vários locais diferentes do distrito federal.

A família relatou que a jovem era uma pessoa muito tranquila e de cabeça muito boa, relataram que ela acabara de se formar e teria passado em um concurso público, o que faz a todos não acreditar que ela agiria contra a própria vida.

O corpo dela foi resgato e encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), para exames onde foi apontada a morte por asfixia por afogamento.

Nossa equipe conversou com o Delegado de Polícia, 10º (delegacia) de Polícia, do Lago Sul, Wellington, que está investigando o caso. O delegado não quis da nem uma informação sobre como esta sendo feita as investigações, mas que trabalha com várias linhas de possibilidades e que tudo que for possível sera feito pela polícia para esclarecer o mistério da morte da jovem Erica, apontado inicialmente como um caso de suicidio.

Comentários

%d blogueiros gostam disto: